Uma tradição com milhares de anos

tartessos

Terão sido os Tartessos, povo considerado como o fundador da primeira civilização da Península Ibérica, os primeiros cultivadores de vinha e produtores de vinho nesta região do mundo. As primeiras vinhas terão sido plantadas na área entre o Tejo e o Sado, há cerca de  4.000 anos.

 Com a chegada dos Fenícios vieram novas castas de uvas. Os Gregos instalaram-se por cá no século VII A.C. desenvolveram a cultura da vinha e trouxeram progressos para a produção do vinho.  O culto a Dionísio (Deus do vinho) faz com que a pisa da uva se tornasse numa grande festa.

gregos

 

Os Celtas

Os Celtas introduziram novas castas de uvas na Península Ibérica e também eles se mantiveram fieis à tradição do cultivo, da produção e da festa.

romanos

O Império Romano

Os Romanos chegaram à Península Ibérica cerca do século II A.C. e contribuíram para a modernização da cultura da vinha. A uva era pisada com os pés em grandes “tanques” de pedra. Dionísio deu lugar a Baco, no panteão dos Deuses e a tradição da festa não só se manteve, como terá ficado ainda mais intensa…

Com a queda do Império Romano, o vinho continuou a ser produzido pelas civilizações que se seguiram e a celebração das vindimas continuou, agora respondendo às práticas cristãs.

reis portugueses

 

 

O Reino de Portugal

O ano de 1143 da era cristã, é o ano zero para o novo reino de  Portugal. O vinho era então bebida de reis e com o passar dos séculos tornou-se no produto mais exportado.

exportacoes

 

As exportações

Um grande aumento das exportações de vinho começou na segunda metade do século XIV, fruto da aliança luso/britânica e da abertura de rotas comerciais com o Norte da Europa. Já nesses tempos os vinhos exportados a partir do Porto tinham grande fama.

Nos séculos XV e XVI, com as descobertas Portuguesas, as caravelas carregavam sempre vinho e transportavam-no por todo o mundo. O vinho português globalizava-se.

descobrimentos

O Tratado de Methuen

Em 1703, a celebração do Tratado de Methuen trouxe um novo incentivo ao comércio entre Portugal e Inglaterra e o vinho fluía desde a Foz do Douro, até aos portos britânicos. Em 1756 o vinho do Porto era então famoso e das necessidades de proteger um produto ímpar, nasce a primeira região demarcada do Mundo, a Região Demarcada do Douro. 


 

Curiosidade

Com o desenvolvimento das exportações de vinho do Porto iniciou-se a prática de lhe adicionar aguardente. Assim, o vinho resistia inalterado à viagem no mar e a paragem da fermentação com a aguardente tornava o vinho mais adocicado e apropriado ao gosto do mercado inglês.

A Região Demarcada do Douro, foi fundada em 1756 pelo Marquês de Pombal, com o objectivo de proteger a produção do Vinho do Porto e é a mais antiga região demarcada do mundo.

As Regiões Demarcadas Portuguesas

Portugal possui 13 regiões vitivinícolas, sendo duas classificadas pela UNESCO como “Património Mundial”.

Região Demarcada do Douro

Região Vitivinícola do Pico

Partindo do centro do Porto, a menos de 1h30 de carro, são encontradas quatro das mais importantes regiões vitivinícolas portuguesas.

A Região dos Vinhos Verdes, que abrange o Minho e parte do Douro Litoral; a Região da Bairrada, ao norte de Coimbra; a Região do Dão, em plena Beira-Alta, entre as serras do Caramulo e da Estrela e por fim a Região Demarcada do Douro, a mais antiga do mundo.